Vila de Sintra – Breve história

Sintra é um verdadeiro Tesouro Histórico, onde se encontram vestígios desde a idade do Bronze às diversas épocas da História de Portugal, sem descurar a época romana e a ocupação muçulmana. Apesar de ser um dos centros urbanos mais populosos de Portugal, tem recusado ser elevada ao estatuto de Cidade. Possui diversos monumentos, de que se salientam o palácio Valenças, no centro da vila, o Palácio da Pena, mandado construir pelo rei D. Fernando Saxe Coburgo, marido de D. Maria II e as muralhas da vila.

No âmbito contextual de natureza, arquitectura e ocupação humana, Sintra e a Serra, evidenciam uma “paisagem cultural” única no panorama da história portuguesa e um característico clima proporcionado pela Serra de Sintra. Foi classificada pela UNESCO como Paisagem Cultural e Património da Humanidade – durante a 19ª Sessão do Comité da UNESCO, a 6 de Dezembro de 1995. No concelho de Sintra, situa-se o Cabo da Roca, que é o ponto mais ocidental da Europa. Sintra deve a sua designação à palavra de origem indiana “Suntria” que quer dizer “astro luminoso”, numa referência à sua deslumbrante paisagem.
www.uccla.pt

                                

Existe ainda todo um património literário que transformou esta Sintra numa referência quase lendária. Sintra, cuja mais antiga forma medieval conhecida “Suntria” apontará para o indo-europeu “astro luminoso” ou “sol”, terá sido designada por Varrão e Columela como Monte Sagrado. Ptolomeu registou-a como a “Serra da Lua” e o geógrafo árabe Al-Bacr, no século X, caracterizou Sintra como «permanentemente mergulhada numa bruma que não se dissipa».  
www.wikipedia.org

 


   
 

publicidade